Rogério Ceni se posiciona sobre voltar ao São Paulo: “Ficaria com o Diniz”

Com Leco em seus últimos meses na presidência do São Paulo, já há quem vislumbre um retorno de Rogério Ceni ao banco de reservas tricolor. O maior ídolo da história recente do clube, porém, não se coloca essa pressão. Em entrevista exclusiva ao blog de Mauro Cezar Pereira, o treinador deixou claro que seu foco está todo no Fortaleza e disse até que manteria Fernando Diniz no comando do time do Morumbi.

“Se eu sou um diretor do São Paulo, ficaria com o Diniz lá. Bom profissional e está crescendo na carreira”, disse Rogério Ceni.

“Se fosse para escolher, eu queria melhorar o máximo que pudesse, com o Fortaleza mantendo-se na Série A, melhorando o Centro de Treinamentos, melhorando o gramado, colocando drenagem no campo do CT, nova fisioterapia… Isso se chama legado. Estou superfeliz aqui e quero tentar repetir e ganhar mais um título esse ano. Se surgir proposta em um ou dois anos, se eu seguir tendo sucesso, aí vamos estudar”, completou em outra resposta.

Mas Rogério, claro, diz que ficaria muito contente se sua história com o São Paulo fosse retomada um dia. Ele só não coloca esse retorno como fundamental para o futuro.

“Agora, sobre um dia voltar, se acontecer será um prazer enorme, trabalhei 25 anos lá, uma vida dentro do futebol. Tenho o maior carinho pelo clube, pessoas e dirigentes. Teve esse problema com o Leco, que acontece, faz parte do futebol. No Fortaleza começo a ganhar espaço porque conseguimos ganhar títulos, mas o São Paulo é o clube que me formou”, diz.

“Independentemente de voltar a trabalhar lá, ou não, é eterno para mim e está no meu coração para sempre. Não há obrigação nenhuma do São Paulo para minha volta. Deixei a vida lá dentro e fiz o meu melhor. Se for possível dar continuidade a essa história, vai acontecer. Essa é uma relação que talvez Zico no Flamengo e Roberto (Dinamite) no Vasco e muito poucos tiveram. Esse sentimento de tantos anos no mesmo clube”, completa.

Ceni comandou o São Paulo em 2017, mas acabou deixando o clube após desavenças com o presidente Leco. Os dois chegaram até a trocar farpas em entrevistas.

Rogério teve um desempenho de 14 vitórias, 11 empates e 10 derrotas como treinador do time do Morumbi. Foi o primeiro trabalho da carreira dele como treinador.

error: